segredos secretados
| 01.02.04 |
| 08.02.04 |
| 15.02.04 |
| 22.02.04 |
| 29.02.04 |
| 07.03.04 |
| 14.03.04 |
| 28.03.04 |
| 11.04.04 |
| 18.04.04 |
| 25.04.04 |
| 02.05.04 |
| 09.05.04 |
| 16.05.04 |
| 23.05.04 |
| 30.05.04 |
| 06.06.04 |
| 13.06.04 |
| 27.06.04 |
| 04.07.04 |
| 25.07.04 |
| 12.09.04 |
| 19.09.04 |
| 03.10.04 |
| 07.11.04 |
| 05.12.04 |
| 09.01.05 |
| 27.02.05 |
| 13.03.05 |
| 10.04.05 |
| 17.04.05 |
| 01.05.05 |
| 29.05.05 |
| 03.07.05 |
| 14.08.05 |
| 28.08.05 |
| 18.09.05 |
| 02.10.05 |
| 09.10.05 |
| 16.10.05 |
| 23.10.05 |
| 30.10.05 |
| 06.11.05 |
| 13.11.05 |
| 20.11.05 |
| 27.11.05 |
| 04.12.05 |
| 18.12.05 |
| 25.12.05 |
| 01.01.06 |
| 08.01.06 |
| 15.01.06 |
| 29.01.06 |
| 05.02.06 |
| 12.02.06 |
| 19.02.06 |
| 26.02.06 |
| 05.03.06 |
| 12.03.06 |
| 19.03.06 |
| 26.03.06 |
| 02.04.06 |
| 09.04.06 |
| 16.04.06 |
| 23.04.06 |
| 30.04.06 |
| 07.05.06 |
| 14.05.06 |
| 21.05.06 |
| 28.05.06 |
| 04.06.06 |
| 11.06.06 |
| 18.06.06 |
| 25.06.06 |
| 02.07.06 |
| 09.07.06 |
| 16.07.06 |
| 23.07.06 |
| 30.07.06 |
| 06.08.06 |
| 13.08.06 |
| 20.08.06 |
| 27.08.06 |
| 10.09.06 |
| 17.09.06 |
| 24.09.06 |
| 01.10.06 |
| 08.10.06 |
| 15.10.06 |
| 22.10.06 |
| 29.10.06 |
| 05.11.06 |
| 12.11.06 |
| 19.11.06 |
| 26.11.06 |
| 03.12.06 |
| 10.12.06 |
| 24.12.06 |
| 31.12.06 |
| 07.01.07 |
| 14.01.07 |
| 28.01.07 |
| 04.02.07 |
| 11.02.07 |
| 25.02.07 |
| 04.03.07 |
| 11.03.07 |
| 25.03.07 |
| 01.04.07 |
| 08.04.07 |
| 15.04.07 |
| 22.04.07 |
| 29.04.07 |
| 06.05.07 |
| 13.05.07 |
| 20.05.07 |
| 27.05.07 |
| 03.06.07 |
| 10.06.07 |
| 17.06.07 |
| 24.06.07 |
| 01.07.07 |
| 08.07.07 |
| 15.07.07 |
| 29.07.07 |
| 14.10.07 |

This page is powered by Blogger. 

Isn't yours?
qual é a música?



Por Thiago F. * 12:05 * 9.6.06

--- --- ---


Esquemas aparecem progressivamente no escuro. Esquemas de quê? Psiu! Estou tentando entender. Esquemas puros. Como assim? Números, letras, sinais. Estão se sobrepondo. Eu vejo cenários em uma camada abaixo. Alguém diz que faz sentido. Eu parei de contar os carneiros. Você tenta dar um sentido. Eu sinto a dor. Psiu! Mas quem é você, a dor, o sentido ou os esquemas? Talvez o fundo preto. Ou é azul? Cadê quem viu os cenários? O telefone está tocando. Eu nunca quis uma piscina daquelas. Não era pra ter ligado. Ela deve estar dormindo. Não, ela me disse que está no trabalho e não pode atender. Números, letras, sinais. Há um limite: a parede. Sinto ela na cabeça. O sentido. Cadê você? Não eram só carneiros, havia outras coisas pulando. Talvez o fundo preto. O fundo azul. Eles se intercalam. Há algo escrito: 12:00. Preto. 12:00. Letras e sinais. Empurra, empurra pra lá. Tira os esquemas daqui. Psiu! Deixa o ar. A parede reclama de novo. Eu trouxe os cenários de volta. Quantas vezes já? Eu disse que parei de contar. As diferenças são pequenas. Você nem nota. Azul marinho, azul celeste. Azul.


Por Thiago F. * 12:15 * 6.6.06

--- --- ---




cúmplices:
{ Site Meter }